Avanços na Cafeicultura Brasileira – Compreendendo os Principais Avanços Técnicos e Tecnológicos que levaram o Brasil ao Patamar de Líder Mundial

Matricule-se agora
R$ 199,90 à vista ou em até 12x
    Avaliação
  • Avanços na Cafeicultura brasileira -
    • Material de Apoio
    • Aula 01 - Ciclos e fases da Cafeicultura Brasileira
    • Aula 02 - Renovação e revigoramento dos cafezais
    • Aula 03 - A ferrugem do cafeeiro no Brasil
    • Aula 04 - Consolidação da cafeicultura moderna e melhorias regionais
    • Aula 05 - Principais avanços técnicos obtidos na cafeicultura atual e produtividade nos cafezais
  • Avaliação
  • Avaliação do curso
    • FICHA DE AVALIAÇÃO PLATAFORMA PROCAFÉ

Descrição do curso

As diferenças de uma cafeicultura arcaica para uma cafeicultura racional e moderna colocaram o Brasil em um patamar diferenciado quando o assunto é produção de café. 

Este curso, gravado por experientes profissionais que vivenciaram e participaram das diferentes fases pelas quais passou a cafeicultura no Brasil, tem como objetivo possibilitar 

uma visão ampla e detalhada sobre os avanços técnicos obtidos nas lavouras de café do país, abordando as políticas de estímulo e desestimulo, a evolução do parque cafeeiro, 

a sua produtividade e as safras de café. Além dos principais avanços técnicos, o curso compreende, ainda, o zoneamento climático e as melhorias de diversas regiões cafeeiras 

do maior produtor de café do mundo. 

Categoria: Cultura de Café

Informações gerais

Conteúdo
  • Aula 01 - Ciclos e fases da Cafeicultura Brasileira
  • Aula 02 - Renovação e revigoramento dos cafezais
  • Aula 03 - A ferrugem do cafeeiro no Brasil
  • Aula 04 - Consolidação da Cafeicultura moderna e melhorias regionais
  • Aula 05 - Principais avanços técnicos obtidos na cafeicultura atual e produtividade nos cafezais
Objetivo

O propósito deste curso é apresentar as diferenças de uma cafeicultura arcaica para uma cafeicultura racional e moderna colocaram o Brasil em um patamar diferenciado quando o assunto é produção de café. 

Gravado por experientes profissionais que vivenciaram e participaram das diferentes fases pelas quais passou a cafeicultura no Brasil, este curso tem como objetivo possibilitar uma visão ampla e detalhada sobre os avanços técnicos obtidos nas lavouras de café do país, abordando as políticas de estímulo e desestimulo, a evolução do parque cafeeiro, a sua produtividade e as safras de café. Além dos principais avanços técnicos, o curso compreende, ainda, o zoneamento climático e as melhorias de diversas regiões cafeeiras do maior produtor de café do mundo.

Público-alvo

Produtores de café, técnicos agrícolas, estudantes de agronomia, agrônomos 

Metodologia

Exclusiva Cresça Mais ®

Certificado

O Certificado será emitido após feita a conclusão de 100% das aulas.

Professores

José Braz Matiello, 

Graduado em Eng. Agronômica pela Universidade Federal de Viçosa, em 1965. Trabalhou inicialmente no Ministério de Agricultura como pesquisador, por 8 meses e logo no Instituto Agronômico de Campinas, também como pesquisador, por 2 anos, publicando 7 trabalhos sobre virologia de plantas. Entrou no Instituto Brasileiro de Café (IBC), em 1968, por concurso, em primeiro lugar, como Engenheiro Agrônomo, sendo responsável pela equipe de pesquisa e assistência técnica do Órgão, coordenando uma equipe de mais de 400 técnicos, no planejamento e execução do Plano de renovação e revigoramento de cafezais, que implantou cerca de 2 milhões de hectares de novas lavouras no Brasil e do Plano de pesquisa e de controle da ferrugem do cafeeiro. Nesse período também foi responsável pela criação de 12 fazendas experimentais e pela coordenação e execução das 45 edições anuais do Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras. 

Durante os últimos 32 anos no IBC foi chefe do Departamento de Pesquisas Tecnológicas.  Aposentado do IBC, entrou para o Ministério da Agricultura, Programa PROCAFÉ e para a Fundação Procafé, um programa de apoio tecnológico à cafeicultura, em convênio com as Cooperativas de Cafeicultores, onde trabalha desde 1992 até o presente. A vasta produção intelectual sobre cafeicultura foi difundida através de 21 livros publicados, 127 boletins técnicos, 1987 trabalhos de pesquisa, mais de 3000 palestras, organização e ministração de mais de 450 aulas em cursos, assessorias técnicas em quase todos os países cafeeiros, no Continente Americano (Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Bolívia, México, Venezuela, na África, Ásia e Oceania (Missão de ajuda em 2 viagens ao Timor Leste). Foi consultor da FAO, com missões de ajuda em vários países cafeeiros. Participou de viagens de estudo a diferentes países africanos, (Kênia, Tanzânia, Angola e Moçambique) e na Europa (Itália, Alemanha, Inglaterra, Espanha e Portugal). Foi editor da revista Coffee e mantem os programas Procafé Online e Procafé atende. Dá consultoria em um grande número de fazendas, para desenvolvimento de cafeicultura em diferentes regiões do Brasil. Criou mais de 20 novas variedades de café com resistência à ferrugem. Em resumo, trabalha com cafeicultura há 52 anos, nas áreas de pesquisa, desenvolvimento e difusão de tecnologia.


Antônio Wander Rafael Garcia

Graduado em Eng. Agronômica pela Escola Superior de Agricultura de Lavras – ESAL, Lavras, MG, Antônio Wander, que é produtor rural (cafeicultor), fez parte do seleto grupo de profissionais do IBC (Instituto Brasileiro do Café) onde trabalhou de 1973 até 1990, como Engenheiro Agrônomo, exercendo funções de assistência técnica, pesquisa e coordenação. Com a extinção do IBC, ele passou a ocupar o cargo de Fiscal Federal do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e, ainda, incorporou o quadro de colaboradores da Fundação Procafé por inúmeros anos, atuando em diversas frentes tais como coordenação, direção, pesquisa, desenvolvimento e serviços técnicos especializados, tendo sido um dos idealizadores da entidade e um dos responsáveis por seu progresso. Sua vasta experiência e conhecimento técnico no setor cafeeiro foi e vem sendo compartilhado por meio de assistência técnica, palestras, treinamentos e inúmeras publicações, obras e livros que contou com sua participação como autor.   


José Edgard Pinto Paiva  

Uma das maiores lideranças da cafeicultura brasileira, José Edgard, que é produtor rural (cafeicultor), com formação superior em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura de Lavras – ESAL, Lavras, MG, iniciou sua jornada em prol do setor cafeeiro no IBC (Instituto Brasileiro do Café) onde trabalhou de 1966 até 1990, como Engenheiro Agrônomo, exercendo os cargos de assessor e, posteriormente, coordenador de serviços de assistência técnica, tendo atuado em diversas regiões e estados tais como: Juiz de Fora, Caratinga, Espírito Santo, Paraná, Goiás, Mato Grosso e Rio de Janeiro. Com a extinção do IBC, ele passou a ocupar o cargo de Fiscal Federal do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), cargo do qual ocupou até o ano de 2000. De lá para cá, desempenhou funções de extrema importância para o setor agronômico do país:

         Ø  Inspetor auxiliar do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais – CREA, em Varginha (1982 a 1984);

Ø  Vice-Presidente da Federação de Agricultura do Estado de Minas Gerais - FAEMG (1984 a 1990);

Ø  Representante da Lavoura Cafeeira junto ao CNPC (1986 a 1988);

Ø  Conselheiro Administrativo do SESCOOP/MG (1986 a 1992 e 2001 a 2005);

Ø  Presidente do Sindicato Rural de Varginha (1987 a 1992);

Ø  Diretor conselheiro da OCEMG (1990 a 1995 e 2005 a 2008);

Ø  Presidente da COCCAMIG - Cooperativa Central de Cafeicultores de Minas Gerais Ltda (1985 a 2011).

Além das atividades já mencionados, ele fez inúmeras viagens internacionais para visitas e estudos e ainda atuou como coautor em diversas obras sobre a cafeicultura. Atualmente, além de atuar como Diretor Presidente da Fundação Procafé, ele também cumpre um importante papel como Membro Conselheiro do CDPD Café (Comitê Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do Café), comitê responsável por deliberar a prioridades de pesquisas e desenvolvimento cafeeiro no Brasil. Durante todo este percurso ele sempre buscou de forma distinta, com muito carinho e ética, o desenvolvimento da atividade agropecuária brasileira, sobretudo da cafeicultura, onde sua preciosa experiência e visão de futuro dão um ar de desenvolvimento contínuo para o nosso país até hoje.

Saulo Roque de Almeida

Graduado em Eng. Agronômica pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Saulo, que é produtor rural (cafeicultor), possui mestrado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal de Lavras (1981), 

com a dissertação comparação de fungicidas no controle da ferrugem e cercosporiose do cafeeiro. Trabalhou na EMATER de 1967 a 1969, IBC de 1970 a 1989, MAPA de 1990 a 1998. Faz parte do seleto 

grupo de Pesquisadores da Fundação Procafé e integra seu Conselho Técnico. É Bolsista do Consórcio Pesquisa e Café desde 2004 até o período atual e atua principalmente nos seguintes temas: 

cultivares de café, cafeeiro, Catucaí, melhoramento genético e genótipo. Ademais, Saulo é considerado um dos maiores profissionais a nível mundial no quesito melhoramento genético e desenvolvimento de 

novas cultivares de café.

Comece agora

Matricule-se agora
R$ 199,90 à vista ou em até 12x
Avanos 1